Amigos da Alcova

sexta-feira, 11 de maio de 2012

O canto do puto


Paulo Veloso




Minha voz dengosa

Ó fanchos, ouvi!

Sou fruta gostosa

E fruta nasci.

Ó fanchos, meu macho

Era o Jurandi;

O macho sebento

De pau de jumento

Que pra meu tormento

Ó fanchos, perdi!



Já vi bons caralhos

De amigos bandalhos

E os doces trabalhos

Da foda provei!

Das picas calhordas

Senti pelas bordas

Contactos de cordas

Das picas que amei!



Sou puto, confesso!

Bichocas não meço

Quando a alguém peço

Para me enrabar!

Da bunda ao buraco,

Ou então no sovaco,

Não dou o cavaco,

Eu quero é gozar!



O Fontes guloso,

O Paulo Veloso,

O Staerke, jeitoso,

Comeram-me nu!

O Elpídio surdina,

O Cortes bolina

E o Lápis canina

Me foram ao cu!



Agora, cansado,

Todo engalicado,

Ficou isolado

Meu cu infeliz!

Se acaso não acho

Alguém para macho,

No cu atarraxo

Meu grande nariz...  



Meu canto de puta

Ó fanchos, ouvi!

Sou fresco! Sou fruta!

Veado nasci!

Voyeurs desde o Natal de 2009